Consultor Jurídico

Comentários de leitores

14 comentários

Senhor Afonso de Souza

Leonardo Guimarães (Advogado Autônomo - Administrativa)

Gostaria profundamente de estar errado, desinformado, alienado e politizando uma questão jurídica. No entanto, o Brasil, não merece tanto desatino, com toda sua grandeza. A história vem sendo contada, dia a dia, e um cidadão consciente, jamais poderá conviver com a desarmonia, e a agressividade, produzidas dioturnamente pelo desgoverno instaurado no país, pois tais condutas estão colapsando o Estado Democrático de Direito e sua essência, que é a harmonia. Respeito sua posição, mas estou tranquilo quanto aos fatos reais dos quais discorri, vale dizer: a deputada é neta de um Nazista de escol, execrada na Alemanha, por motivos óbvios, mas foi recebida pelo Presidente da República. Isso é aceitável, bem como tantas outras incríveis atitudes deste Senhor, para um operador, um professor ou um estudioso da ciência jurídica!? Minhas escusas pelo tom veemente das outras manifestações.

Senhor Afonso de Souza

Leonardo Guimarães (Advogado Autônomo - Administrativa)

Gostaria profundamente de estar errado, desinformado, alienado e politizando uma questão jurídica. No entanto, o Brasil, não merece tanto desatino, com toda sua grandeza. A história vem sendo contada, dia a dia, e um cidadão consciente, jamais poderá conviver com a desarmonia, e a agressividade, produzidas dioturnamente pelo desgoverno instaurado no país, pois tais condutas estão colapsando o Estado Democrático de Direito e sua essência, que é a harmonia. Respeito sua posição, mas estou tranquilo quanto aos fatos reais dos quais discorri, vale dizer: a deputada é neta de um Nazista de escol, execrada na Alemanha, por motivos óbvios, mas foi recebida pelo Presidente da República. Isso é aceitável, bem como tantas outras incríveis atitudes deste Senhor, para um operador, um professor ou um estudioso da ciência jurídica!? Minhas escusas pelo tom veemente das outras manifestações.

Senhor Afonso de Souza (continuação)

Leonardo Guimarães (Advogado Autônomo - Administrativa)

Ademais, senhor Afonso de Souza, a desinformação, a repetição de mentiras até que virem verdades, a pseudo-cientificidade (cloroquina e et cetera), O ÓDIO, e a eleição de inimigos irreais, são práticas Nazistas, repetidas a exaustão pelo desgoverno federal. Assim, irresponsável é quem não se coloca contra tais atitudes.

Respondendo 2

Afonso de Souza (Outros)

Você, talvez sem perceber, está agindo como acusa o acusa de governo de fazer.
Há um termo novo, o "fascismo do bem", que talvez se aplique direitinho a você - que, aliás, veio aqui politizar o assunto.

Senhor Afonso de Souza

Leonardo Guimarães (Advogado Autônomo - Administrativa)

O erro na grafia ocorreu devido a digitação, no entanto, vosso erro na interpretação do que se disse, parece-me absolutamente sem solução. E, caso o senhor não saiba, ou não queira saber, o chefe do desgoverno federal encontrou-se, após tudo que fez até aqui na pandemia e et cetera, com uma NAZISTA, então... Passar bem!

Respondendo 1

Afonso de Souza (Outros)

A deputada não é nazista, ela é de um partido (que já expulsou neonazistas) nacionalista e, portanto, anti-imigração. O partido em questão, goste-se dele ou não, opera dentro das leis alemãs.
P.S. Não adianta usar caixa alta, rapaz, isso não o fará ter razão.

Não é cancelamento!?

Flávio Ramos (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

"O estudo desses autores e de suas ideias não pode ser confundido com a censurável prática do cancelamento".
Bem, e a supressão do epônimo do autor/idealizador da obra, também não pode ser confundido com cancelamento?
Entristeço-me ao ler o texto de capazes estudiosos com o discurso de "jamais poderá ser perdoado", "manchas de sangue nas canetas", "mal absoluto", "acerto de contas precisa chegar até nós". Se esse tipo de retórica for aceitável para uma coisa, ainda que seja o nazismo, é aceitável para outras também. Depende do alvo da intolerância do autor.
E o mais triste é que o texto só fala mal de pessoas, mas pretende estar falando de ideias. O autor não identificou uma ideia que devesse ser combatida por ser nazista, mas realizou uma completa identificação de ideia nazista com ideia do nazista.
Peço ao autor que reflita sobre a validade dessa argumentação ad hominem. Ideias nefastas devem ser assim demonstradas; o clamor pelo acerto de contas com uma doutrina que se repudia é ação política.

Operação paper clip - ii

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

é fraca, porque eles, colaboraram para o "Milagre Alemão".
Em 1912, vários alemães conseguiam doutorados em Matemática, Física, Química, Engenharia.
E o Brasil?
Formava advogados, advogados, advogados...
Está explicado porque a Alemanha tem um domínio nas Ciências e o Brasil...bem o Brasil... tem doutores e pós-doutores em Direito, que nada acrescentam ao desenvolvimento....

Esclarecimentos

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

E aqui, não vai nenhuma crítica contra o ilustre articulista, professor de Direito da USP, exemplo de dignidade intelectual.
A crítica dirige-se àqueles que, desonestos e sem caráter, conseguem diplomas de pós-graduação, para se tornarem, ainda mais desonestos...ficam piores.

Operação paper clip - i

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

"A Operação Paperclip foi um programa secreto de inteligência dos EUA no qual mais de 1 600 cientistas, engenheiros e técnicos alemães foram levados da ex-Alemanha nazista para os Estados Unidos para empregos no governo após o fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, entre 1945 e 1959. Conduzido por a Joint Intelligence Objectives Agency (JIOA), foi em grande parte executado por agentes especiais do Corpo de Contra-inteligência do Exército dos Estados Unidos (CIC). Muitos desses funcionários eram ex-membros e alguns eram ex-líderes do Partido Nazista.
O objetivo principal da Operação Paperclip era a vantagem militar dos EUA na Guerra Fria Soviético-Estadunidense e na Corrida Espacial. Em uma operação comparável, a União Soviética realocou mais de 2 200 especialistas alemães (dentre eles Wernher von Braun) - um total de mais de 6 000 pessoas, incluindo membros da família - com a Operação Osoaviakhim durante uma noite em 22 de outubro de 1946.
Em fevereiro de 1945, o Quartel-General Supremo da Força Expedicionária Aliada (SHAEF, sigla em inglês) criou a Força T, ou Subdivisão de Seções Especiais, que cresceu para mais de 2 000 funcionários em junho. A Força T examinou 5 000 alvos alemães com alta prioridade emː borracha sintética e catalisadores de óleo, novos projetos em equipamentos blindados, armas V-2 (foguetes), aeronaves com propulsão a jato e foguete, equipamento naval, rádios de campo, produtos químicos secretos, pesquisa aeromedicina, planadores e "personalidades científicas e industriais".

A conquista da Lua pelo Homem no ano de 1969 foi realizada pelos...nazistas. Werner Von Braun e seu mentor, Walter Robert Dornberger, orientaram o Programa Espacial Norte-Americano.
Então, essas críticas contra os juristas alemães nazistas, (continua)

Advogado

Leonardo Guimarães (Advogado Autônomo - Administrativa)

Caríssimos autor e colegas, parece-me que devemos, além da reflexão jurídica, nos dedicarmos as reflexões sociológica e antropológica, para entendermos as razões da doutrina Nazista, e de seus doutrinadores, permearem tantas áreas sensíveis de nossa sociedade, culminando com o desgoverno instituído no país hodiernamente. Ademais, não se pode olvidar, que a justiça no Estado Democrático de Direito, baseia-se no ordenamento jurídico, e, sobretudo, na Constituição Federal. Portanto, não podemos conviver ou compactuar com tribunais e juízes suspeitos, que condenam sem provas, por perseguição reacionária política, tal e qual ao nefasto Terceiro Raich.

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Não há nada no país ou no governo atual que se pareça com o nazismo; isso aí é um clichê irresponsável e inconsequente. Aliás, se quer mesmo discorrer sobre isso, deveria ao menos saber que a grafia correta é REICH.

Lixo nazista no direito

Armando do Prado (Professor)

Urge varrer o lixo nazista em todas as frentes, inclusive no direito. Com neonazistas no desgoverno sofremos o perigo das ideias mortais dessa praga nascida na culta Alemanha.
Não passarão!

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Se você é uma amostra dos professores que temos por aí, explica-se o uso tão leviano dos termos nazismo e fascismo na política brasileira.
A quem quer enganar, soldadinho?

Comentar

Comentários encerrados em 5/08/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.